segunda-feira, abril 02, 2018

Orgânico'




Me ajuda.
Ele esqueceu onde meus lábios começam,
Não se pergunta se eu me importo.
Eu me importo.
Me ajuda.
Ele esqueceu que eu não gosto,
Me pergunta se eu ainda quero.
Eu não quero.
Me ajuda.
Ele esqueceu de me deixar sozinha,
Se pergunta se eu prefiro.
Eu não sei.
Me ajuda.
Me leva e me joga do quarto andar.
Me assiste cair e nunca mais voltar.
Me ajuda.
O que eu disse várias vezes tu não conseguiste escutar,
Ele ouve, mas não entende.
Por isso eu sempre escolho não falar...
Naquele lixo era de mim que tu deverias se livrar.



[Suelen de Miranda]


*Eu disse que queria doer, mas havia me esquecido.
Ou talvez seja pra me lembrar que minha dor maior sempre foi essa.
Eu nunca vou ser aquilo.


quarta-feira, março 28, 2018

Mínimo'



Não importa o que eu diga.
Ninguém irá me ouvir.
Se a chuva ouve o céu dizer que não dá;
Porque tu não entendes minha tempestade?
Não importa o que eu faça.
Ninguém irá me ver.
Se o céu vê a chuva chorar tudo que há;
Porque tu não enxergas minha seca?
Não importa...
Fogo só se apaga com água, sabe?
E quando se queima demais corre risco de afogar.
Não que lhe importe.
Tu não ouves. Tu não vês.
Para não te queimar eu só sei chover.

[Suelen de Miranda]


*https://www.youtube.com/watch?v=CuVvAmSCsFs
Eu não sei, meu amor. Eu só preciso.
now i know how long. 
Não é de hoje. Mas é de hoje. 

terça-feira, março 20, 2018

Dano'




Há quem diga que só dura o que se protege.
Esconde e diz que não existe,
Finge e apaga a luz do lado de fora.
Ninguém entra na escuridão a fim de se encontrar.
Há quem diga que só sobrevive o que se cuida.
Segura e aperta contra si,
Cobre e tranca pelo lado de dentro.
Ninguém enxerga o que não quer encontrar.
Há quem diga que só dura o que se protege.
Usam a metáfora das flores,
Rotulam teu jardim, e tu continua fugindo.
Pois quem sabe os faça entender;
Que não resta mais nada.
Quando se protege de tudo, nada suporta;
Pode entrar...Tanto faz.
Flor que não pega chuva morre como a que não pega sol.


[Suelen de Miranda]



*não tem música, não tem nada que possa fazer abafar.
sobre nós, mas nós três. eu e tu, eu e ele.
é por isso que eu sufoco, talvez nunca tenha espaço pra mais ninguém. 
eu me quero de volta, mas me perco toda vez. eu vou trocar a fechadura e nunca mais fazer cópia alguma. 
Não é de hoje. Eu não sei como isso aconteceu. Eu me perco toda vez. 


quinta-feira, fevereiro 15, 2018

De 1 a 10'







A dor é bem-vinda quando se quer,
Mas nunca quando se espera.
Há quem diga que tolerância é o que define.
Não esquece que o que se suporta ainda se sente.
A dor é alívio quando se joga,
Mas nunca quando se cai.
Já ouvi que se deve ignorar e pensar em outra coisa.
Não esquece que o que tu não vês ainda está lá.
A dor é êxtase quando se busca,
Mas nunca quando se foge.
Há quem julgue a ponta da faca enquanto segura o cabo,
Diz que não entende a queda enquanto aperta o gatilho.
Talvez não saibam que tipo de dor é essa;
Pois só é bem-vinda quando se aprende,
Mas nunca quando se descobre.




[Suelen de Miranda]

*pain is a prison, let me out of my cell.

sexta-feira, janeiro 05, 2018

Acidente'



Você me obrigou.
Nunca veio, mas se foi.
E eu te pedi para ficar sem dizer.
Há como saber?
Você me obrigou.
Não me levou, mas eu fui.
E eu te pedi para ficar sem entender.
Isso não existe.
Você me obrigou a escrever,
O que eu quero contar tu não irás ler.
Então eu deixo aqui.
Só é cego quem não se permite ver.



[Suelen de Miranda]

*do. not. get. obssessed.
...mas eu quero doer. 
https://www.youtube.com/watch?v=3TEo7v8yQkA